(11) 96614-3006 (11) 5573-8735 sbd-resp@sbd-sp.org.br

Gestantes e lactantes podem cuidar das unhas, mas com cuidado

As mãos impactam profundamente em nosso desempenho diário. Através delas realizamos, com mais facilidade e precisão, atividades rotineiras da casa, como o preparo dos alimentos ou a limpeza de ambientes, bem como trabalhamos e cuidamos de quem a gente gosta. Além de toda a importância funcional, as mãos também fazem parte da rotina estética de muitas pessoas que gostam de mantê-las bem cuidadas e com os passos de manicure em dia. Só que é imprescindível entender, antecipadamente, quais desses protocolos são benéficos e como melhor aproveitá-los, inclusive se forem feitos por gestantes e/ou lactantes.

Principais produtos

Existem três vertentes de produtos para melhorar o aspecto das unhas e das cutículas:

  • Substâncias hidratantes – são esmaltes tipo base e dermocosméticos, em creme ou em gel, usados para aumentar nutrientes e água das cutículas e das unhas. Os dois últimos itens são aplicados na base das cutículas. O gel, inclusive, proporciona uma ótima absorção.
  • Fortalecedores – eles são, geralmente, comercializados como esmalte tipo base, incolores. São produtos catalogados entre os que modificam a estrutura das unhas e os que têm papel de reforçá-las. Tais substâncias são emaranhados de aminoácidos e fibras sintéticas, como o náilon. Também podem ter estruturas naturais, como a fibra do arroz. Além deles, há produtos com formaldeído na formulação, que possuem o papel de endurecedor.
  • Produtos para regularizar a superfície da unha – são os esmaltes, em geral. Se temos uma ondulação da unha, por exemplo, após a aplicação do esmalte tal diferença estética será amenizada.

O que evitar?

O mercado cosmético amplia, ano após ano, a oferta de produtos livres de substâncias tóxicas e sensibilizantes. Eles são consumidos, principalmente, por pessoas com alergias, doenças dermatológicas, em tratamento médico, gestantes e lactantes. Você pode encontrá-los com a inscrição 3, 5, 7 ou 9 free.

As substâncias retiradas, principalmente de esmaltes, são: formaldeído, tolueno, dibutilftalato, resina de formaldeído, cânfora, parabenos, fosfato de trifenila (TPHP), tosilamida de etilo e xileno.

Problemas recorrentes

A principal queixa durante a avaliação dermatológica, quando o assunto é saúde e beleza das unhas, é o encravamento. Tais pacientes costumam chegar no consultório com muita dor, tantas vezes tentando amenizar o problema em casa, com receitas vistas na internet e sem qualquer fundamento científico, o que não é aconselhado e chega a agravar a situação.

Pode também haver presença de tumores locais, unhas com manchas escuras (melanoníquia estriada), traumas, micose, infecção bacteriana, pintas ou melanomas e deformidades que impossibilita o paciente de calçar sapatos ou que sejam esteticamente incômodas. Outra queixa recorrente são as unhas frágeis e quebradiças, que enroscam nas roupas, quebram e causam dor.

Tratamentos

A indicação, em caso de problemas nas unhas ou cutículas, é sempre procurar um médico, evitando assim a desinformação e tratamentos inadequados ou ineficazes. No caso de manchas, por exemplo, pode ser necessário até a realização de uma pequena cirurgia e, posteriormente, o encaminhamento do material retirado para biópsia.

Para a unha encravada é oferecido tratamento medicamentoso e, em alguns casos mais agudos, colocação de órteses. Há também a possibilidade de protocolos mais prolongados, principalmente quando há queixa de hematoma agudo, onde é necessário drená-lo e acompanhar o desenvolvimento do quadro.

Suplementação via oral

Os nutracêuticos e nutricosméticos estão muito na moda. Os dermatologistas, inclusive, costumam indicar sua suplementação oral com o objetivo de melhorar aspectos das unhas, pele e cabelo. Porém, tal uso é apenas indicado caso haja algum déficit, que pode ser atingido através de dietas restritivas ou algum problema de saúde. Antes de começar um tratamento suplementar, portanto, é necessário uma avaliação médica e exames laboratoriais que comprovem sua real necessidade. Grávidas e lactantes precisam consultar o médico que acompanha o período para analisar qualquer tipo de suplementação via oral ou uso de dermocosméticos.

Cuidado extra com gestantes e lactantes

Dermatologistas não costumam recomendar muitos produtos para o uso por mulheres grávidas ou que estão vivendo o pós-parto e a amamentação. Dependendo do problema com unhas e cutículas que tais mulheres tenham, porém, é possível recomendar alguns protocolos tópicos, ou seja, para uso local e externo. No caso de micoses, por exemplo, é mais comum ser indicado pomadas e não medicamentos orais.

Para gestantes com unhas fracas, a orientação deve ser para o uso de produtos fortalecedores que são feitos com fibras naturais. Entretanto, todo e qualquer dermocosmético deve ser aprovado pelo médico da paciente com o problema em questão.

Também não é indicado que gestantes e lactantes façam suas unhas sem o acompanhamento de profissionais da saúde ou de podólogos altamente capacitados, uma vez que se ocorrer um encravamento o quadro é muito mais delicado entre elas. Caso o encravamento evolua para uma opção cirúrgica, por exemplo, mãe e bebê são expostos, desnecessariamente, a riscos de complicações normais dentro do processo cirúrgico.

É indicado, para gestantes, lactantes e também para o público em geral, que se evite a retirada das cutículas, principalmente dos pés, também para evitar encravamentos e lesões evitáveis.

Álcool gel e unhas

O álcool gel, tão usado na pandemia, pode ressecar unhas e cutículas, pois ele rouba a água dessas estruturas. Com isso, unhas frágeis podem ficar ainda mais fragilizadas. Para evitar o problema, prefira a lavagem das mãos com água e sabão. Se não for possível, após o uso do álcool gel ao longo do dia, invista em hidratantes mais grossos, como manteigas e ceras, antes de dormir, para equilibrar as unhas no período de repouso.

Dicas para o dia a dia:

  • Lavar roupa, louça ou cozinhar  são atividades que fazem com que as placas de queratina acabem desfazendo suas ligações. Com isso, as unhas podem descascar. Para evitar tal problema, use luvas próprias para esse tipo de atividade doméstica.
  • Manter as unhas curtas e as mãos hidratadas também ajuda na manutenção da área.
  • As mãos sofrem muito com a ação do tempo. Use protetor solar no local, porém sabendo que o produto não irá atuar nas unhas, uma vez que a própria placa ungueal já faz esse papel.
  • A uréia pode ser uma aliada no combate à secura das mãos; porém, sua concentração acima de 10% é contraindicada para gestantes.

 

O artigo foi desenvolvido com o auxílio técnico da médica dermatologista Tatiana Villas Boas Gabbi. A profissional é pós-graduada em Nutrologia pela Abran e chefe do Ambulatório de doenças ungueais HC-FMUSP.

Platina

Diamante

Ouro

Prata

SOBRE A SBD-SP

A Sociedade Brasileira de Dermatologia – Regional São Paulo é uma entidade sem fins lucrativos fundada em 1970 para fomentar a pesquisa, o ensino e o aprimoramento científico da dermatologia como especialidade médica. Reúne, atualmente, mais de 2500 associados.

CONTATOS

Endereço: Rua Machado Bittencourt,
361 / cjs 1307 a 1312
Vl. Clementino – São Paulo-SP
CEP: 04044-001
E-mail: sbd-resp@sbd-sp.org.br
Atendimentos feitos por home office
Tel/Fax: (11) 96614-3006 / (11) 99270-9568

SIGA-NOS