(11) 96614-3006 (11) 5573-8735 sbd-resp@sbd-sp.org.br

Dermatite perioral pode estar relacionada ao uso de cosméticos e até da pasta de dente. Entenda.

A dermatite perioral é uma doença de pele na qual lesões que parecem pequenas espinhas surgem na face. O problema de saúde ocorre ao redor da boca e do nariz, mas também pode aparecer ao redor dos olhos. Entenda em que faixa etária ela está mais propensa a ocorrer, através de quais hábitos de consumo e quais são os tratamentos indicados.

Causas

Existe um padrão para o aparecimento da dermatite perioral. Ela é um problema de saúde mais comum entre mulheres, dos 16 até os 45 anos, mas também pode acontecer na infância. Também surge em indivíduos que utilizaram certos remédios, como pomadas ou cremes com corticoides, usados na face, ou sprays indicados para pessoas com rinite alérgica ou asma, que são aplicados por via inalatória. Muitas pessoas com dermatite perioral apresentam alguma forma de alergia respiratória associada ou alergias na pele, como a dermatite atópica.

Cosméticos

Outro quadro que propicia o seu aparecimento é após o uso de cosméticos inadequados, como fotoprotetores e até mesmo pasta de dente com flúor. Mudanças hormonais, como o uso de anticoncepcionais orais e gestação, também podem favorecer o seu aparecimento.

Dermatite perioral x rosácea

É importante ressaltar que a dermatite perioral não se refere a qualquer doença de pele que ocorre ao redor da boca. Ela é sim considerada uma patologia com quadro clínico típico e com desencadeadores conhecidos. Existe, portanto, uma interação entre fatores externos, corticosteróides, cosméticos e fatores intrínsecos da pessoa, como constituição atópica que leva ao aparecimento da dermatite perioral.

O aspecto das lesões pode ser confundido com quadros de rosácea, mas neste problema de pele a crise de vermelhidão é desencadeada por alterações como temperatura, consumo de bebidas alcoólicas, certos alimentos, entre outras alterações ambientais que não são decisivos para alavancar quadros da dermatite perioral. Na rosácea as regiões afetadas se localizam mais em bochechas e fronte.

Tratamento

A dermatite perioral desaparece com o tratamento adequado, mas ela pode voltar. O principal tratamento é a interrupção dos corticóides locais e, se possível, o uso de cosméticos que ocasionaram o problema.

Existem várias medicações comerciais, para serem aplicadas na pele, que podem melhorar a dermatite perioral, inclusive hidratantes com a capacidade de restaurar a barreira cutânea, o que é muito importante na fase aguda da doença.

Nos casos moderados a mais intensos, deve-se utilizar antibióticos derivados da tetraciclina como, por exemplo, a doxiciclina, por períodos de 20 – 30 dias pelo seu efeito anti-inflamatório.

Efeito rebote

Na maioria das vezes, com a interrupção dos corticóides, ocorre uma piora do quadro após uma semana de pausa. O dermatologista então deve avisar o seu paciente sobre esse efeito para que ele siga com o tratamento indicado, orientando só o uso de hidratantes e loções de limpeza neutras.

Alívio temporário

Fazer compressas frias, com chá de camomila, água boricada ou água termal, tende a melhorar o ardor em casos ativos.

 

O artigo foi desenvolvido com o auxílio técnico da médica Thais Helena Proença de Freitas, dermatologista da Santa Casa de São Paulo com área de atuação em acne e rosácea.

Patrocinadores

Platina

Diamante

Ouro

Prata

Bronze

SOBRE A SBD-SP

A Sociedade Brasileira de Dermatologia – Regional São Paulo é uma entidade sem fins lucrativos fundada em 1970 para fomentar a pesquisa, o ensino e o aprimoramento científico da dermatologia como especialidade médica. Reúne, atualmente, mais de 2500 associados.

CONTATOS

Endereço: Rua Machado Bittencourt,
361 / cjs 1307 a 1312
Vl. Clementino – São Paulo-SP
CEP: 04044-001
E-mail: sbd-resp@sbd-sp.org.br
Atendimentos feitos por home office
Tel/Fax: (11) 96614-3006 / (11) 99270-9568

SIGA-NOS