(11) 5573-8735 / 5573-5528 / 5083-3491 sbd-resp@sbd-sp.org.br

Mancha escura na unha tem nome: melanoníquia

Um dia você se dá conta de que está com uma mancha escura na unha. Fica achando que é um hematoma, mas não sente o local dolorido nem se lembra de ter se machucado. O tempo passa e a mancha continua lá. Ao examiná-la mais de perto, nota que é uma listra larga e meio marrom. Como ela não desaparece, acha melhor marcar uma consulta com o dermatologista.

Crédito: Arquivo Escola Paulista de Medicina (UNIFESP)

O que causa mancha escura na unha
Em primeiro lugar, ponto para você, porque isso é realmente o melhor a fazer, já que o dermatologista entende como ninguém os problemas e as doenças de pele, cabelo e unhas. Durante a consulta, você descobre que a tal mancha tem um nome complicado: melanoníquia.  Também fica sabendo que ela causa uma mancha linear estreita ou larga, atinge uma ou mais unhas e tem uma coloração castanha, cinza, marrom e, em alguns casos, até mesmo preta. “Essa pigmentação acontece pelo aumento na produção de melanina, o pigmento que dá cor à pele. Isso acontece na raiz da unha, a chamada matriz ungueal, estrutura interna localizada na base da unha”, explica o Dr. Sérgio Hirata, Mestre e Doutor em Dermatologia, professor adjunto e coordenador do Grupo de Dermatoscopia da Escola Paulista de Medicina (UNIFESP). Segundo o médico, que é da Sociedade Brasileira de Dermatologia – Regional São Paulo (SBD-RESP), além de predisposição genética, a melanoníquia pode ser provocada pelo uso de certos medicamentos, como alguns antibióticos e o AZT, utilizado para tratar o HIV, e, mais raramente, por infecções por alguns fungos que produzem pigmentos, as micoses .“Tumores benignos ou malignos também podem provocar o problema”, explica o Dr. Hirata.

Como tratar mancha escura na unha
O tratamento varia de acordo com a causa. Sendo assim, se a mancha foi provocada por uma micose, são prescritos antifúngicos de uso tópico ou oral. “A substituição do fármaco costuma resolver a melanoníquia medicamentosa”, diz o Dr. Hirata. E, em caso de tumores, o médico realiza uma biópsia para determinar se existe malignidade e indicar a conduta adequada. Esse cuidado é fundamental, pois, algumas vezes, a melanoníquia pode ser um sinal precoce de melanoma subungueal.

Leia também: Quando você aperta a unha do dedo da mão, a região dói muito?

Cuidados básicos com as unhas
Alguns outros esclarecimentos: apesar de não provocar dor, o simples fato de surgirem manchas nas unhas já deve ser motivo para ir ao dermatologista. A melanoníquia não é contagiosa, mas pode ser provocada por infecções por determinados fungos – e as micoses, sim, são contagiosas. Portanto, valem alguns cuidados, como usar chinelos em ambientes úmidos (na sauna e no banheiro da academia, por exemplo) e levar alicate e tesoura para a manicure, além de se certificar de que ela só utiliza material descartável. Ah, falando no assunto, ao se consultar com o dermatologista, você deve estar com as unhas sem bases ou esmaltes. No mais, mesmo durante o tratamento, a menos que o dermatologista dê outra orientação, não costuma haver problemas em usar esmalte – nem mesmo os escuros, que aliás, não têm nada a ver com o surgimento da melanoníquia.

SOBRE A SBD-SP

A Sociedade Brasileira de Dermatologia – Regional São Paulo é uma entidade sem fins lucrativos fundada em 1970 para fomentar a pesquisa, o ensino e o aprimoramento científico da dermatologia como especialidade médica. Reúne, atualmente, mais de 2500 associados.

CONTATOS

Endereço: Rua Machado Bittencourt,
361 / cjs 1307 a 1312
Vl. Clementino – São Paulo-SP
CEP: 04044-001
E-mail: sbd-resp@sbd-sp.org.br
Tel/Fax: (11) 5573-8735, 5573-5528, 5083-3491

SEJA UM ASSOCIADO